Procura o asunto que pretendes na barra lateral
Domingo, 22 DE Março 2009

Química e Física

 

Vídeos para o ensino da Física

 

publicado por ana às 14:57
Assuntos tratados no blog:
Quinta-feira, 05 DE Março 2009

 

    A Física é a ciência das propriedades da matéria e das forças naturais. Suas formulações são em geral compactantes expressas em linguagem matemática.

    A introdução da investigação experimental e a aplicação do método matemático contribuíram para a distinção entre Física, filosofia e religião, que , originalmente, tinham como objetivo comum compreender a origem e a constituição do Universo.

    A Física estuda a matéria nos níveis molecular, atômico, nuclear e subnuclear. Estuda os níveis de organização ou seja os estados sólido , líquido, gasoso e plasmático da matéria. Pesquisa também as quatro forças fundamentais: a da gravidade ( força de atração exercida por todas as partículas do Universo), a eletromagnética ( que liga os elétrons aos núcleos), a interação forte (que mantêm a coesão do núcleo e a interação fraca (responsável pela desintegração de certas partículas - a da radiatividade).

 

    Física teórica e experimental - A Física experimental investiga as propriedades da matéria e de suas transformações, por meio de transformações e medidas, geralmente realizada em condições laboratoriais universalmente repetíveis . A Física teórica sistematiza os resultados experimentais, estabelece relações entre conceitos e grandezas Físicas e permite prever fenômenos inéditos.

publicado por ana às 20:09
Assuntos tratados no blog:

 

Leis das reações químicas


 

Leis ponderais das reações químicas

A + B ® C + D  
mA   mB   mC   mD 1a experiência
m'A   m'B   m'C   m'D 2a experiência

Lei de Lavoisier
mA + mB = mC + mD
m'A + m'B = m'C + m'D
Lei de Proust
mA
——
m'A
= mB
——
m'B
= mC
——
m'C
= mD
——
m'D
Lei de Dalton ou lei das proporções múltiplas
A + B ® composto X
m   m1  

A + B ® composto Y
m   m2  

A + B ® composto Z
m   m3  
m1
——
a
= m2
——
b
= m3
——
c

a, b e c são números pequenos
a : b : c

(relação simples)

 

Teoria atômica de Dalton

Teoria atômica de Dalton (1808) - Um modelo para explicar as leis ponderais. Primeiro modelo atômico com base em resultados experimentais.

Lei volumétrica das reações químicas - Gay-Lussac (1808)

A(g) + B(g) ® C(g) + D(g)   (mesma pressão e temperatura)
VA   VB   VC   VD    

VA
——
a
= VB
——
b
= VC
——
c
= VD
——
d
  a, b, c, d ® números inteiros e pequenos
a : b : c : d
(relação fixa e simples)

 

 

Hipótese de Avogadro

Hipótese de Avogadro (1811):

 

Volumes iguais de gases quaisquer à mesma pressão e temperatura contêm o mesmo número de moléculas.

A hipótese de Avogadro introduziu o conceito de molécula em química.

Cannizzaro utilizou o modelo da hipótese de Avogadro para explicar as leis volumétricas de Gay-Lussac.

Conseqüências da hipótese de Avogadro - A proporção volumétrica numa reação é dada pelos coeficientes das substâncias na equação da reação, quando essas substâncias estiverem no estado gasoso, à mesma pressão e temperatura:

aA(g) + bB(g) ® cC(g) + dD(g) (mesma pressão e temperatura)

<a href="#sumário>

publicado por ana às 20:04
Assuntos tratados no blog:

ENSINO DE FÍSICA

 

 

Por Alberto Ricardo Präss

 

 Quando você estuda Português ou História, uma lição passada pelo professor abrange, na maioria das vezes, um grande número de páginas de texto. A Física, tal como a Matemática, é mais condensada. Uma lição de Física pode reduzir-se apenas a uma ou duas páginas. Você poderia decorar a lição, mas isto não lhe adiantaria nada. Algumas vezes, o seu trabalho é compreender urna lei. Depois de compreender essa lei - e a lei é muitas vezes expressa por uma equação - e a puder explicar e aplicar na resolução de problemas, você terá aprendido a lição.

Sugestões para o estudo:

1. Leia toda a lição, a fim de saber do que se trata.

2. Leia novamente a lição, porém, mais devagar, e escreva no seu caderno a lei (se houver alguma) e outros pontos importantes da lição. Verifique se você compreende cada parágrafo. Certifique-se também se compreende o verdadeiro significado de cada palavra nova. Estude com cuidado as definições de termos como "trabalho" e "potência" até ficar completamente seguro do seu verdadeiro sentido em Física.

3. Se a lei for expressa por uma equação matemática, pergunte a si mesmo de que maneira cada símbolo da equação está relacionado com a lei. Por exemplo,  (trabalho = força . deslocamento) nos diz que, duplicando-se o deslocamento, se duplica o trabalho realizado e, do mesmo modo, fazendo duplicar a força, duplica-se o trabalho produzido.

4. Resolva os problemas incluídos no texto do seu livro.

5. Discuta a lição com os seus colegas.

Durante a aula e o trabalho de laboratório

1. Faça, sem hesitação, perguntas a respeito do que você não compreende.

2. Esteja alerta e pronto a explicar o que você compreende.

3. Pense por você mesmo; faça o seu trabalho. Você não pode aprender Física olhando para o seu companheiro.

Revisão para as provas:

1. Estude todos os dias, conscienciosamente, as suas lições. Reveja as notas que tomou na última aula. Nunca deixe as suas notas se acumularem, sem estudá-las metodicamente.

2. Antes da prova, escreva todos os pontos difíceis da parte que está revendo; faça perguntas sobre os mesmos, na aula.

3. Pense nas perguntas que faria se você fosse o professor. Tente responder, você mesmo, a essas perguntas.

4. Faça uma “cola” com as fórmulas ou conceitos mais importantes. Não exagere. Coloque apenas pontos importantes da matéria.

Durante as provas:

1. Antes do professor distribuir a prova, dê uma última “olhadinha” na cola que você fez.

2. Guarde a cola dentro da sua pasta. Você não a usará, já que já memorizou tudo que tinha nela.

3. Ao receber a prova escreva, em algum lugar dela, tudo que puder de fórmulas, conceitos e exemplos. Essas anotações serão muito úteis quando você estiver cansado e surgirem os famosos “brancos” de memória.

4. Faça as questões da prova como se estivesse resolvendo os testes em casa, com calma e muita atenção. Lembre-se que sempre existirão mais questões “fáceis” do que “difíceis” .

5. Lembre-se que quando um aluno diz que foi mal numa prova, é devido aos erros nas questões “fáceis”. Todo aluno que vai mal usa como desculpa as tais questões “difíceis” como argumento para mascarar sua falta de estudos.

6. Sucesso !

 

Texto adaptado e ampliado de:
“Física Na Escola Secundária”


De Oswald H. Blackwood, Wilmer B. Herron & William C. Kelly
Tradução de José Leite Lopes e Jayme Tiomno
Editora Fundo de Cultura

 

 

 

 

ESPECIALIZAÇÕES DA Física

 

    Cosmologia e astroFísica - Tratam da natureza do universo físico, sua origem, evolução e possíveis extensões espaço-temporais.

    Física atômica, molecular e de polímeros - Dedicam-se à descrição da estrutura e das propriedades de sistemas de muitos elétrons, como os átomos complexos, ou como moléculas e compostos orgânicos.

    Física da matéria condensada e do estado sólido - Ocupa-se das propriedades gerais dos materiais, como cristais, vidros ou cerâmicas. Tem como subespecializações a Física de semicondutores e a Física de superfícies.

    Física nuclear - Estuda a estrutura nuclear e os mecanismos de reação, emissão de radiatividade natural, de fissão e fusão nuclear.

    Física dos plasmas - Estuda a matéria a centenas de milhares de graus ou mesmo a milhões de graus de temperatura, estado em que a estrutura atômica regular é desfeita em íons e elétrons ou em que ocorrem fusões nucleares, como no Sol e nas demais estrelas.

    Física das partículas elementares - Trata dos constituintes fundamentais da matéria.

    Física das radiações - Estuda os efeitos produzidos pela absorção da energia da radiação eletromagnética em geral ou da radiação ionizante em particular.

    Gravitação e relatividade geral - Tratam das propriedades geométricas do espaço/tempo, como decorrentes das concentrações de massa no Universo.

    Mecânica dos fluídos - Estuda as propriedades gerais e as leis de movimento dos gases e dos líquidos.

      Óptica - Estuda propriedades e efeitos de fontes de luz (como os raios laser), de transmissores de luz (como as fibras ópticas) e de fenômenos e instrumentos ópticos (como o arco-íris e os microscópios).

 

TABELA DE CONVERSÃO DE UNIDADES:
COMPRIMENTO
  cm m km in ft mi
1 centímetro (cm) 1 0,01 0,00001 0,3937 0,0328 0,000006214  
1 metro (m) 100 1 0,001 39,3 3,281 0,0006214  
1 quilômetro (km) 100000 1000 1 39370 3281 0,6214
1 polegada (in) 2,54 0,0254 0,0000254 1 0,08333 0,00001578  
1 pé (ft) 30,48 0,3048 3,048 12 1 0,0001894  
1 milha terrestre (mi) 160900 1609 1,609 63360 5280 1

 

TABELA DE CONVERSÃO DE UNIDADES:
MASSA
  g Kg slug

u.m.a.

onça lb ton
1 grama (g) 1 0,001 0,00006852 6,024x1023 0,03527 0,002205 0,000001102
1quilograma (Kg) 1000 1 0,06852 6,024x1026 35,27 2,205 0,001102
1 slug 14590 14,59 1 8,789x1027 514,8 32,17 0,01609
1 u.m.a. 1,66x10-24 1,66x10-27 1,137x10-28 1 5,855x10-26 3,66x10-27 1,829x10-30
1 onça 28,35 0,02835 0,001943 1,708x1025 1 0,0625 0,00003125
1 libra (lb) 453,6 0,4536 0,03108 2,732x1026 16 1 0,0005
1 ton 907200 907,2 62,16 5,465x1029 32000 2000 1

 

TABELA DE CONVERSÃO DE UNIDADES:
ÁREA
  cm² ft² in²
1 metro quadrado(m²) 1

10000

10,76 1550
1 centímetro quadrado(cm²) 0,0001 1 0,001076 0,1550
1 pé quadrado(ft²) 0,0929 929 1 144
1 polegada quadrada(in²) 0,0006452 6,452 0,006944 1

 

TABELA DE CONVERSÃO DE UNIDADES:
VOLUME
  cm³ l ft³ in³
1 metro cúbico(m³) 1 1000000 1000 35,31 61020
1 centímetro cúbico(cm³) 0,000001 1 0,001 0,00003531 0,06102
1 litro(l) 0,001 1000 1 0,03531 61,02
1 pé cúbico(ft³) 0,02832 28320 28,32 1 1728
1 polegada cúbica(in³) 0,00001639 16,39 0,01639 0,0005787 1

 

TABELA DE CONVERSÃO DE UNIDADES:
PRESSÃO
  atm PSI(lbf/in²) Kgf/cm² Bar mmHg(Torricelli) mH2O in. Hg Pascal(Pa)
atm 1 14,6959 1,033 1,01325 760 10,33 29,92 101325
PSI(lbf/in²) 0,0680 1 0,07031 0,06895 51,71 0,70307 2,04 6894,8
Kgf/cm² 0,96778 14,2234 1 0,98 735,514 10 28,9572 98066,5
Bar 0,9869 14,5 1,02 1 750,061 10,195 29,53 10000
mmHg 0.001315789 0.01933677 0.00135951 0.001333224 1 0,01360 0,03937 133,3224
mH2O 0,09678 1,42234 0,10 0,0980872 73,5514 1 2,89572 9803,1176
in. Hg 0,03342 0,49119 0,03453 33900 25,4 0,34534 1 3386,5
Pascal(Pa) 0,000009869 0,0001450377 0,00001019716 0,00001 0,007500617 0,000102 0,0002952 1

 

MÚLTIPLOS E SUBMÚLTIPLOS

NOME SÍMBOLO VALOR
tera T 1012
giga G 109
mega M 106
kilo k 103
hecto h 102
deca da 10
deci d 10-1
centi c 10-2
mili m 10-3
micro µ 10-6
nano n 10-9
pico p 10-12

publicado por ana às 20:01
Assuntos tratados no blog:
Quarta-feira, 04 DE Março 2009

A Ciência experimental está ao alcance de todos aqueles que sejam suficientemente curiosos para questionar o porquê das coisas. A casa de cada um pode ser um laboratório onde se podem procurar respostas para os fenómenos que no dia-a-dia vão acontecendo. ^
Experimenta!

Para te orientar no trabalho laboratorial en casa consulta os sites da net que a seguir te sugerimos.

publicado por ana às 19:38
Assuntos tratados no blog:

Sabes em que dia começa a Primavera? E qual é a duração do dia mais curto do ano?
Procura resposta a estas e a muitas outras questões sobre Fisica no site do Observatório Astronómico de Lisboa.

publicado por ana às 19:37
Assuntos tratados no blog:

Quileite - Química do Leite de Vaca

publicado por ana às 14:03
Assuntos tratados no blog:
Terça-feira, 03 DE Março 2009

O QUE MANTÉM A VELA ACESA?

vela

 

O que mantém a vela acesa? Acho essa uma pergunta muito interessante, porque, se pararmos pra pensar: ao colocarmos fogo somente naquela cordinha (pavio), que fica no meio da vela, ele irá se queimar rapidamente e se colocarmos fogo somente na parafina, bem, simplesmente não ira pegar fogo.

A principio devemos saber que a vela é formada por: combustível (a parafina) e o pavio (feito de alguma corda absorvente). O pavio da vela tem que ser de um material absorvente porque o mesmo absorve toda a cera líquida enquanto a vela estiver queimando. Já a cera da parafina tem que ser um hidrocarboneto (composto químico formado apenas por C e H), pois quando você acende a vela, você também aquece a cera que esta envolvendo o pavio, assim ela derrete (passa para o estado liquido), parte é absorvido pelo pavio e parte é evaporada. É ai que acontece a mágica. A queima da cera absorvida e evaporada que mantém a vela acesa por tanto tempo.

Então você pode dizer que a vela queima o vapor da cera. Para provar isso, aí vai uma experiência: quando você apaga uma vela, sai àquela fumaça branca do pavio. Pois então, essa fumaça é nada mais nada menos, que o vapor da cera que está se condensando. Se você pegar um fósforo aceso e encostar-se a essa fumaça, uma chama descerá e reacenderá o pavio novamente.

Sabe aqueles acidentes envolvendo churrasqueira, churrasqueiro desinformado e o álcool? Então, o que acontece é basicamente a mesma coisa. Quando o individuo pega o álcool para jogar dentro da churrasqueira, já com fogo aceso, o vapor do álcool (que tem um ponto de evaporação bem menor que a água) leva a chama até a embalagem de álcool que se encontra na mão do churrasqueiro e conseqüentemente, queimando-o.

Bom, e o pavio? O pavio simplesmente não queima tão depressa como se estivesse sozinho, porque a cera absorvida por ele resfria-o e não o deixa queimar tão rápido.

Como uma coisa tão simples pode ser tão apaixonante não é mesmo.

 

É a magia da Física meus caros amigos?!

 

 

 

Por que a borracha apaga o lápis?


 

Sempre quando escrevemos alguma palavra errada ou precisamos apagar alguma coisa, usamos a borracha. Porém garanto que nenhum de nós parou para pensar o porquê de uma borracha apagar o lápis ou lapiseira.
Quando escrevemos sobre um papel, o lápis ou lapiseira depositam uma pequena quantidade de grafite sobre o papel em que você estava escrevendo. Isso se chama força de adesão. Esse grafite permanece sobre a folha de papel por meio de ligações.
Quando aplicamos a borracha sobre a grafite, o que acontece é que a força da borracha é maior que a da grafite, então essas ligações são quebradas e o grafite passa para a borracha. Agora pergunto: como este grafite sai da borracha?
A grafite sai da borracha graças a algumas substancias como enxofre e alguns óleos especiais que compõem a borracha e que têm por função, fazer com que os pedaços “sujos” da grafite se desprendam dela.
 
Existem também as borrachas que apagam canetas, essas borrachas são compostas por pó de pedra-pomes que lixam a pequena camada do papel que absorveu a tinta. Porém existem as borrachas mais avançadas que não danifica a superfície do papel, o que acontece com elas é que por meioreações químicas elas diluem a cor das canetas.

 

publicado por ana às 19:04
Assuntos tratados no blog:
Domingo, 01 DE Março 2009

Vídeos para o Ensino da Física e da Química

aqui

publicado por ana às 20:49
Assuntos tratados no blog:


 


 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
brigada percebi logo tudo ajudas-te-me muito obrig...
Obrigada Rita
musicas fixes e adoro o blog tem muita informação....
Posts mais comentados
2 comentários
1 comentário
subscrever feeds
mais sobre mim