Procura o asunto que pretendes na barra lateral
Domingo, 22 DE Março 2009

Química e Física

 

Vídeos para o ensino da Física

 

publicado por ana às 14:57
Assuntos tratados no blog:
Quinta-feira, 05 DE Março 2009

 

    A Física é a ciência das propriedades da matéria e das forças naturais. Suas formulações são em geral compactantes expressas em linguagem matemática.

    A introdução da investigação experimental e a aplicação do método matemático contribuíram para a distinção entre Física, filosofia e religião, que , originalmente, tinham como objetivo comum compreender a origem e a constituição do Universo.

    A Física estuda a matéria nos níveis molecular, atômico, nuclear e subnuclear. Estuda os níveis de organização ou seja os estados sólido , líquido, gasoso e plasmático da matéria. Pesquisa também as quatro forças fundamentais: a da gravidade ( força de atração exercida por todas as partículas do Universo), a eletromagnética ( que liga os elétrons aos núcleos), a interação forte (que mantêm a coesão do núcleo e a interação fraca (responsável pela desintegração de certas partículas - a da radiatividade).

 

    Física teórica e experimental - A Física experimental investiga as propriedades da matéria e de suas transformações, por meio de transformações e medidas, geralmente realizada em condições laboratoriais universalmente repetíveis . A Física teórica sistematiza os resultados experimentais, estabelece relações entre conceitos e grandezas Físicas e permite prever fenômenos inéditos.

publicado por ana às 20:09
Assuntos tratados no blog:

 

Leis das reações químicas


 

Leis ponderais das reações químicas

A + B ® C + D  
mA   mB   mC   mD 1a experiência
m'A   m'B   m'C   m'D 2a experiência

Lei de Lavoisier
mA + mB = mC + mD
m'A + m'B = m'C + m'D
Lei de Proust
mA
——
m'A
= mB
——
m'B
= mC
——
m'C
= mD
——
m'D
Lei de Dalton ou lei das proporções múltiplas
A + B ® composto X
m   m1  

A + B ® composto Y
m   m2  

A + B ® composto Z
m   m3  
m1
——
a
= m2
——
b
= m3
——
c

a, b e c são números pequenos
a : b : c

(relação simples)

 

Teoria atômica de Dalton

Teoria atômica de Dalton (1808) - Um modelo para explicar as leis ponderais. Primeiro modelo atômico com base em resultados experimentais.

Lei volumétrica das reações químicas - Gay-Lussac (1808)

A(g) + B(g) ® C(g) + D(g)   (mesma pressão e temperatura)
VA   VB   VC   VD    

VA
——
a
= VB
——
b
= VC
——
c
= VD
——
d
  a, b, c, d ® números inteiros e pequenos
a : b : c : d
(relação fixa e simples)

 

 

Hipótese de Avogadro

Hipótese de Avogadro (1811):

 

Volumes iguais de gases quaisquer à mesma pressão e temperatura contêm o mesmo número de moléculas.

A hipótese de Avogadro introduziu o conceito de molécula em química.

Cannizzaro utilizou o modelo da hipótese de Avogadro para explicar as leis volumétricas de Gay-Lussac.

Conseqüências da hipótese de Avogadro - A proporção volumétrica numa reação é dada pelos coeficientes das substâncias na equação da reação, quando essas substâncias estiverem no estado gasoso, à mesma pressão e temperatura:

aA(g) + bB(g) ® cC(g) + dD(g) (mesma pressão e temperatura)

<a href="#sumário>

publicado por ana às 20:04
Assuntos tratados no blog:

ENSINO DE FÍSICA

 

 

Por Alberto Ricardo Präss

 

 Quando você estuda Português ou História, uma lição passada pelo professor abrange, na maioria das vezes, um grande número de páginas de texto. A Física, tal como a Matemática, é mais condensada. Uma lição de Física pode reduzir-se apenas a uma ou duas páginas. Você poderia decorar a lição, mas isto não lhe adiantaria nada. Algumas vezes, o seu trabalho é compreender urna lei. Depois de compreender essa lei - e a lei é muitas vezes expressa por uma equação - e a puder explicar e aplicar na resolução de problemas, você terá aprendido a lição.

Sugestões para o estudo:

1. Leia toda a lição, a fim de saber do que se trata.

2. Leia novamente a lição, porém, mais devagar, e escreva no seu caderno a lei (se houver alguma) e outros pontos importantes da lição. Verifique se você compreende cada parágrafo. Certifique-se também se compreende o verdadeiro significado de cada palavra nova. Estude com cuidado as definições de termos como "trabalho" e "potência" até ficar completamente seguro do seu verdadeiro sentido em Física.

3. Se a lei for expressa por uma equação matemática, pergunte a si mesmo de que maneira cada símbolo da equação está relacionado com a lei. Por exemplo,  (trabalho = força . deslocamento) nos diz que, duplicando-se o deslocamento, se duplica o trabalho realizado e, do mesmo modo, fazendo duplicar a força, duplica-se o trabalho produzido.

4. Resolva os problemas incluídos no texto do seu livro.

5. Discuta a lição com os seus colegas.

Durante a aula e o trabalho de laboratório

1. Faça, sem hesitação, perguntas a respeito do que você não compreende.

2. Esteja alerta e pronto a explicar o que você compreende.

3. Pense por você mesmo; faça o seu trabalho. Você não pode aprender Física olhando para o seu companheiro.

Revisão para as provas:

1. Estude todos os dias, conscienciosamente, as suas lições. Reveja as notas que tomou na última aula. Nunca deixe as suas notas se acumularem, sem estudá-las metodicamente.

2. Antes da prova, escreva todos os pontos difíceis da parte que está revendo; faça perguntas sobre os mesmos, na aula.

3. Pense nas perguntas que faria se você fosse o professor. Tente responder, você mesmo, a essas perguntas.

4. Faça uma “cola” com as fórmulas ou conceitos mais importantes. Não exagere. Coloque apenas pontos importantes da matéria.

Durante as provas:

1. Antes do professor distribuir a prova, dê uma última “olhadinha” na cola que você fez.

2. Guarde a cola dentro da sua pasta. Você não a usará, já que já memorizou tudo que tinha nela.

3. Ao receber a prova escreva, em algum lugar dela, tudo que puder de fórmulas, conceitos e exemplos. Essas anotações serão muito úteis quando você estiver cansado e surgirem os famosos “brancos” de memória.

4. Faça as questões da prova como se estivesse resolvendo os testes em casa, com calma e muita atenção. Lembre-se que sempre existirão mais questões “fáceis” do que “difíceis” .

5. Lembre-se que quando um aluno diz que foi mal numa prova, é devido aos erros nas questões “fáceis”. Todo aluno que vai mal usa como desculpa as tais questões “difíceis” como argumento para mascarar sua falta de estudos.

6. Sucesso !

 

Texto adaptado e ampliado de:
“Física Na Escola Secundária”


De Oswald H. Blackwood, Wilmer B. Herron & William C. Kelly
Tradução de José Leite Lopes e Jayme Tiomno
Editora Fundo de Cultura

 

 

 

 

ESPECIALIZAÇÕES DA Física

 

    Cosmologia e astroFísica - Tratam da natureza do universo físico, sua origem, evolução e possíveis extensões espaço-temporais.

    Física atômica, molecular e de polímeros - Dedicam-se à descrição da estrutura e das propriedades de sistemas de muitos elétrons, como os átomos complexos, ou como moléculas e compostos orgânicos.

    Física da matéria condensada e do estado sólido - Ocupa-se das propriedades gerais dos materiais, como cristais, vidros ou cerâmicas. Tem como subespecializações a Física de semicondutores e a Física de superfícies.

    Física nuclear - Estuda a estrutura nuclear e os mecanismos de reação, emissão de radiatividade natural, de fissão e fusão nuclear.

    Física dos plasmas - Estuda a matéria a centenas de milhares de graus ou mesmo a milhões de graus de temperatura, estado em que a estrutura atômica regular é desfeita em íons e elétrons ou em que ocorrem fusões nucleares, como no Sol e nas demais estrelas.

    Física das partículas elementares - Trata dos constituintes fundamentais da matéria.

    Física das radiações - Estuda os efeitos produzidos pela absorção da energia da radiação eletromagnética em geral ou da radiação ionizante em particular.

    Gravitação e relatividade geral - Tratam das propriedades geométricas do espaço/tempo, como decorrentes das concentrações de massa no Universo.

    Mecânica dos fluídos - Estuda as propriedades gerais e as leis de movimento dos gases e dos líquidos.

      Óptica - Estuda propriedades e efeitos de fontes de luz (como os raios laser), de transmissores de luz (como as fibras ópticas) e de fenômenos e instrumentos ópticos (como o arco-íris e os microscópios).

 

TABELA DE CONVERSÃO DE UNIDADES:
COMPRIMENTO
  cm m km in ft mi
1 centímetro (cm) 1 0,01 0,00001 0,3937 0,0328 0,000006214  
1 metro (m) 100 1 0,001 39,3 3,281 0,0006214  
1 quilômetro (km) 100000 1000 1 39370 3281 0,6214
1 polegada (in) 2,54 0,0254 0,0000254 1 0,08333 0,00001578  
1 pé (ft) 30,48 0,3048 3,048 12 1 0,0001894  
1 milha terrestre (mi) 160900 1609 1,609 63360 5280 1

 

TABELA DE CONVERSÃO DE UNIDADES:
MASSA
  g Kg slug

u.m.a.

onça lb ton
1 grama (g) 1 0,001 0,00006852 6,024x1023 0,03527 0,002205 0,000001102
1quilograma (Kg) 1000 1 0,06852 6,024x1026 35,27 2,205 0,001102
1 slug 14590 14,59 1 8,789x1027 514,8 32,17 0,01609
1 u.m.a. 1,66x10-24 1,66x10-27 1,137x10-28 1 5,855x10-26 3,66x10-27 1,829x10-30
1 onça 28,35 0,02835 0,001943 1,708x1025 1 0,0625 0,00003125
1 libra (lb) 453,6 0,4536 0,03108 2,732x1026 16 1 0,0005
1 ton 907200 907,2 62,16 5,465x1029 32000 2000 1

 

TABELA DE CONVERSÃO DE UNIDADES:
ÁREA
  cm² ft² in²
1 metro quadrado(m²) 1

10000

10,76 1550
1 centímetro quadrado(cm²) 0,0001 1 0,001076 0,1550
1 pé quadrado(ft²) 0,0929 929 1 144
1 polegada quadrada(in²) 0,0006452 6,452 0,006944 1

 

TABELA DE CONVERSÃO DE UNIDADES:
VOLUME
  cm³ l ft³ in³
1 metro cúbico(m³) 1 1000000 1000 35,31 61020
1 centímetro cúbico(cm³) 0,000001 1 0,001 0,00003531 0,06102
1 litro(l) 0,001 1000 1 0,03531 61,02
1 pé cúbico(ft³) 0,02832 28320 28,32 1 1728
1 polegada cúbica(in³) 0,00001639 16,39 0,01639 0,0005787 1

 

TABELA DE CONVERSÃO DE UNIDADES:
PRESSÃO
  atm PSI(lbf/in²) Kgf/cm² Bar mmHg(Torricelli) mH2O in. Hg Pascal(Pa)
atm 1 14,6959 1,033 1,01325 760 10,33 29,92 101325
PSI(lbf/in²) 0,0680 1 0,07031 0,06895 51,71 0,70307 2,04 6894,8
Kgf/cm² 0,96778 14,2234 1 0,98 735,514 10 28,9572 98066,5
Bar 0,9869 14,5 1,02 1 750,061 10,195 29,53 10000
mmHg 0.001315789 0.01933677 0.00135951 0.001333224 1 0,01360 0,03937 133,3224
mH2O 0,09678 1,42234 0,10 0,0980872 73,5514 1 2,89572 9803,1176
in. Hg 0,03342 0,49119 0,03453 33900 25,4 0,34534 1 3386,5
Pascal(Pa) 0,000009869 0,0001450377 0,00001019716 0,00001 0,007500617 0,000102 0,0002952 1

 

MÚLTIPLOS E SUBMÚLTIPLOS

NOME SÍMBOLO VALOR
tera T 1012
giga G 109
mega M 106
kilo k 103
hecto h 102
deca da 10
deci d 10-1
centi c 10-2
mili m 10-3
micro µ 10-6
nano n 10-9
pico p 10-12

publicado por ana às 20:01
Assuntos tratados no blog:
Quarta-feira, 04 DE Março 2009

A Ciência experimental está ao alcance de todos aqueles que sejam suficientemente curiosos para questionar o porquê das coisas. A casa de cada um pode ser um laboratório onde se podem procurar respostas para os fenómenos que no dia-a-dia vão acontecendo. ^
Experimenta!

Para te orientar no trabalho laboratorial en casa consulta os sites da net que a seguir te sugerimos.

publicado por ana às 19:38
Assuntos tratados no blog:

Sabes em que dia começa a Primavera? E qual é a duração do dia mais curto do ano?
Procura resposta a estas e a muitas outras questões sobre Fisica no site do Observatório Astronómico de Lisboa.

publicado por ana às 19:37
Assuntos tratados no blog:

Quileite - Química do Leite de Vaca

publicado por ana às 14:03
Assuntos tratados no blog:
Terça-feira, 03 DE Março 2009

O QUE MANTÉM A VELA ACESA?

vela

 

O que mantém a vela acesa? Acho essa uma pergunta muito interessante, porque, se pararmos pra pensar: ao colocarmos fogo somente naquela cordinha (pavio), que fica no meio da vela, ele irá se queimar rapidamente e se colocarmos fogo somente na parafina, bem, simplesmente não ira pegar fogo.

A principio devemos saber que a vela é formada por: combustível (a parafina) e o pavio (feito de alguma corda absorvente). O pavio da vela tem que ser de um material absorvente porque o mesmo absorve toda a cera líquida enquanto a vela estiver queimando. Já a cera da parafina tem que ser um hidrocarboneto (composto químico formado apenas por C e H), pois quando você acende a vela, você também aquece a cera que esta envolvendo o pavio, assim ela derrete (passa para o estado liquido), parte é absorvido pelo pavio e parte é evaporada. É ai que acontece a mágica. A queima da cera absorvida e evaporada que mantém a vela acesa por tanto tempo.

Então você pode dizer que a vela queima o vapor da cera. Para provar isso, aí vai uma experiência: quando você apaga uma vela, sai àquela fumaça branca do pavio. Pois então, essa fumaça é nada mais nada menos, que o vapor da cera que está se condensando. Se você pegar um fósforo aceso e encostar-se a essa fumaça, uma chama descerá e reacenderá o pavio novamente.

Sabe aqueles acidentes envolvendo churrasqueira, churrasqueiro desinformado e o álcool? Então, o que acontece é basicamente a mesma coisa. Quando o individuo pega o álcool para jogar dentro da churrasqueira, já com fogo aceso, o vapor do álcool (que tem um ponto de evaporação bem menor que a água) leva a chama até a embalagem de álcool que se encontra na mão do churrasqueiro e conseqüentemente, queimando-o.

Bom, e o pavio? O pavio simplesmente não queima tão depressa como se estivesse sozinho, porque a cera absorvida por ele resfria-o e não o deixa queimar tão rápido.

Como uma coisa tão simples pode ser tão apaixonante não é mesmo.

 

É a magia da Física meus caros amigos?!

 

 

 

Por que a borracha apaga o lápis?


 

Sempre quando escrevemos alguma palavra errada ou precisamos apagar alguma coisa, usamos a borracha. Porém garanto que nenhum de nós parou para pensar o porquê de uma borracha apagar o lápis ou lapiseira.
Quando escrevemos sobre um papel, o lápis ou lapiseira depositam uma pequena quantidade de grafite sobre o papel em que você estava escrevendo. Isso se chama força de adesão. Esse grafite permanece sobre a folha de papel por meio de ligações.
Quando aplicamos a borracha sobre a grafite, o que acontece é que a força da borracha é maior que a da grafite, então essas ligações são quebradas e o grafite passa para a borracha. Agora pergunto: como este grafite sai da borracha?
A grafite sai da borracha graças a algumas substancias como enxofre e alguns óleos especiais que compõem a borracha e que têm por função, fazer com que os pedaços “sujos” da grafite se desprendam dela.
 
Existem também as borrachas que apagam canetas, essas borrachas são compostas por pó de pedra-pomes que lixam a pequena camada do papel que absorveu a tinta. Porém existem as borrachas mais avançadas que não danifica a superfície do papel, o que acontece com elas é que por meioreações químicas elas diluem a cor das canetas.

 

publicado por ana às 19:04
Assuntos tratados no blog:
Domingo, 01 DE Março 2009

Vídeos para o Ensino da Física e da Química

aqui

publicado por ana às 20:49
Assuntos tratados no blog:


 


 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
brigada percebi logo tudo ajudas-te-me muito obrig...
Obrigada Rita
musicas fixes e adoro o blog tem muita informação....
Posts mais comentados
2 comentários
1 comentário

7º ANO

 

Só faz sentido estudar a Terra

 como um dos Planetas

do Sistema solar

 

 

 

daqui

subscrever feeds
mais sobre mim
 

 

 

   

se quiseres

dar sugestões

manda-me

um mail

 

  

ImageChef.com - Custom comment codes for MySpace, Hi5, Friendster and more

 


 

 

Conversor da  Temperatura

 

 

Leituras

recomendadas

 
 
 

Sociedade Portuguesa de Física

Sociedade Portuguesa de Química

Ciência Viva

Gave


 

       Mais Disciplinas que fiz

 

  LINKS MUITO BONS

      Sites úteis para aulas de Ciências da Natureza